O futuro para aqueles que perderam o passado

Um a um vieram falar comigo. A mensagem dada hoje pela manhã foi certeira em seus corações. Eles queriam conversar um pouco, expor suas jornadas, lutas e sofrimento. Durante duas horas ministrei para aquele grupo de homens que em silêncio escutavam cada palavra, os olhos marejados já dizia o que estava acontecendo no interior de cada um. Por fora, paralisados; por dentro, um turbilhão de sentimentos e sensações.

Por que existe tanto mal no mundo? Um deles me perguntou. Então expliquei que só existe luz se coexistir escuridão, ninguém saberia o que é luz se antes não estivesse tudo apagado. A luz brilha na escuridão. Uma pessoa que sempre teve seus desejos satisfeitos não sabe o valor das coisas que tem, mas aquele que perdeu tudo ou nunca teve nada, quando tem um pouco o seu coração se enche de alegria. O mal existe no mundo para que quando saiamos dele possamos reconhecer o valor da luz e ama-la mesmo nos pequenos milagres do dia a dia. A luz brilha em qualquer lugar, as trevas tem que sair imediatamente quando a luz se acende. Semelhantemente somos nós, o mal está em todo o mundo, mas quando decidimos acender o bem, as trevas tem que ir embora. A pergunta não é “porque existe o mal?”, mas “quando vou deixar brilhar o bem dentro de mim?”.

Mesmo em uma condição tão difícil como a deles é possível encontrar algo bom. Passaram uma vida em queda livre, agora estão se recuperando (ou pelo menos tentando) e nesse momento de transição eles conseguem se alegrar com cada vitória diária, pois o que é comum para nós, para eles são desafios grandiosos a serem alcançados. São reabilitados a viver, são reintroduzidos na vida.

Um deles me observava de longe, e na sua primeira oportunidade veio falar comigo. Seus olhos estavam carregados de lágrimas e por isso o interesse na conversa: “De todos os meus irmãos, eu sou o único que não me formei e trabalhei, todos conseguiram um bom trabalho e eu estou anos dessa maneira. Fui abandonado quando criança e logo adotado por essa família, mas é notório ver a diferença entre mim e eles. Mas hoje quando o senhor falou que Deus escuta a oração do prefeito da mesma forma a de um prisioneiro entendi o meu valor, que eu sou importante tanto quanto eles”. A droga rouba o passado e o presente, e se deixar, roubará o futuro também. Podemos ter um passado condenado e falido, mas o futuro não; existem muitas possibilidades para dar certo ainda. O futuro a Deus pertence!

Cada um deles tem um passado terrível que os assombra e sobre isso nada podemos fazer para mudar, mas o futuro ainda pode ser reprogramado e para isso é necessário uma visão esperançosa. Suas mentes e corações estão detidos em uma prisão de segurança máxima, mas a fé e o amor são capazes de gerar novas perspectivas. Com os olhos vemos uma realidade, mas com o coração contemplamos o número significativo de boas opções que existe. Podemos seguir os comentários negativos dos outros, ou podemos seguir a chama que queima em nossos corações.

A pergunta não é “porque existe o mal?”, mas “quando vou deixar brilhar o bem dentro de mim?”.

Lá, o pouco se torna muito, e aquilo que temos em abundância, lá é escasso. O pouco lhe é suficiente e não lhe deixa cair na tentação. Melhor é passar dias “limpo” do que recair. Diante de tamanha escassez eu vi a prosperidade.

Uma comunidade terapêutica não é uma casa de mortos vivos cheia de pessoas problemáticas, mas uma casa que contempla o amanhã. Lá o passado não importa, mas o futuro sim. Lá os erros cometidos são sobrescritos pelas esperanças futuras. Quem crê que pessoas podem mudar crê mais no amanhã do que no hoje.

Mas se cair? Outro me perguntou. Após todos saírem ele me confessou: “Passei vários meses limpo e durante uma festa familiar me ofereceram uma bebida que eu não sabia que era alcoólica e nesse dia voltei ao zero”. Se cair, levanta. O importante é ter a capacidade de se levantar e continuar até o dia que não cairá mais, orar todos os dias para não cair na tentação e perseverar até vencer. Todos podem cair, mas nem todos tentam levantar.

Uma pequena reunião se tornou muito especial, eles foram extremamente abençoados, e eu também. Quando não se tem mais nada (e a droga realmente acaba com tudo) o pouco que alcança lhe trás grande felicidade. Eles ficaram muito felizes com o pouco de hoje. Às vezes chovemos onde já está molhado e esquecemos que existem terras secas que precisam de nós.

Minha experiência na Comunidade Terapêutica Dê Valor a Vida ministrando hoje pela manhã.

Moisés Nogueira de Faria

DÊ VALOR A VIDA faz esse difícil trabalho com dependentes químicos, através dos seus profissionais, centenas de homens puderam regressar ao conviveu com seus familiares. Esse trabalho foi fundado por Hélio Adicto, ex-dependente químico que faleceu esse ano. Hoje é tocado pela viúva dele e por Reginaldo, outro ex-dependente químico que foi reabilitado pelo instituto. Clinica para dependentes químicos internação involuntária gratuita

Cada um contribui com o que pode, alguns que chegam lá não tem a mínima condição de serem tratados. Então entra o nosso apoio, para levar alimentos e doações financeiras para que os trabalhos continuem a serem realizados.

Caso queira contribuir, entre em contato pelo WhatsApp: 61 984088536

Tipos de ajudas necessárias: ALIMENTOS EM GERAL, CARNES, DOAÇÕES FINANCEIRAS PARA CONTAS DE LUZ E ÁGUA

Conta DÊ VALOR A VIDA:
Banco: CAIXA
Agência: 4463  OP: 13
Conta: 2480-6
Razão social: Catia Sirlene S Rodrigues
CPF: 647.446.514-9

DÊ VALOR A VIDA
Comunidade Terapêutica para Dependentes Químicos.
Histórias reais de vidas destruídas pelas drogas e reconstruídas pelo amor.

Compartilhe com os Amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •