Será que sou importante?

23122016-dsc_6793

Disseram-me que eu era importante. Logo eu. Que era chamado de pudim-de-cana, treme-treme e pé inchado. Eu que abandonei aqueles que me amavam, deixei minha esposa e filho. Eu que perdi tudo. Perdi o convívio social. Pra mim só restava a morte. Será que sou importante?

Na comunidade tenho aprendido a cada dia que sim. Eu sou importante. Hoje sou. Mas primeiramente é necessário me amar, depois, amar os outros. Aqui descobri que Deus me amava, e essas pessoas também. Através dos terapeutas e do tratamento venho descobrindo os meus defeitos de caráter e como eles me levavam para o uso do álcool. Eu bebia e logo fazia tudo de errado.

Cheguei totalmente debitado e com todos os defeitos que um homem possa ter. Mas isso era antes, hoje não mais.

Ganhei respeito e dignidade, parece pouco, mas para quem não tinha mais nada, é muito. Hoje minha família sente saudades de mim. Eles me ligam e me procuram, meu filho envia mensagens e vídeos pelo celular. Minha mãe dorme tranquila sabendo que eu não uso mais aquela substância. Voltei a ser importante para eles também. Eu não vegeto mais, agora tenho afeto por eles, e sou retribuído.

Sou voluntário, e quando um recém-chegado vem a mim eu digo: Você é importante. Sei que isso é a mais pura verdade.

REGINALDO, 43 ANOS, VOLUNTÁRIO E EX-INTERNO DA ONG DÊ VALOR A VIDA

devaloravida

 DÊ VALOR A VIDA faz esse difícil trabalho com dependentes químicos, através dos seus profissionais, centenas de homens puderam regressar ao conviveu com seus familiares. Esse trabalho foi fundado por Hélio Adicto, ex-dependente químico que faleceu esse ano. Hoje é tocado pela viúva dele e por Reginaldo, outro ex-dependente químico que foi reabilitado pelo instituto.

Cada um contribui com o que pode, alguns que chegam lá não tem a mínima condição de serem tratados. Então entra o nosso apoio, para levar alimentos e doações financeiras para que os trabalhos continuem a serem realizados.

Caso queira contribuir, entre em contato pelo WhatsApp: 61 984088536

Tipos de ajudas necessárias: ALIMENTOS EM GERAL, CARNES, DOAÇÕES FINANCEIRAS PARA CONTAS DE LUZ E ÁGUA

Conta DÊ VALOR A VIDA:
Banco: CAIXA
Agência: 4463  OP: 13
Conta: 2480-6
Razão social: Catia Sirlene S Rodrigues
CPF: 647.446.514-9

DÊ VALOR A VIDA
Comunidade Terapêutica para Dependentes Químicos.
Histórias reais de vidas destruídas pelas drogas e reconstruídas pelo amor.

Uma comunidade terapêutica em Valparaíso

O DÊ VALOR A VIDA faz esse difícil trabalho com dependentes químicos, através dos seus profissionais, centenas de homens puderam…

Em seus piores momentos algo bom está sendo proporcionado

No término da reunião fez questão de ser o primeiro a conversar comigo. Fomos para debaixo das árvores…

O futuro para aqueles que perderam o passado

Um a um vieram falar comigo. A mensagem dada hoje pela manhã foi certeira em seus corações. Eles…

Quando um “recomeço” se torna melhor que dezenas de “começos”

Estava ainda no Maranhão, tinha 15 anos quando os invejei com as meninas, eles estavam usando e eu…

“Vi minha mãe dormindo de Joelhos”, a história de um Adicto

Adolescência. Fase muitas vezes conflituosa. Um misto de medos e sonhos em meio ao caos da autoafirmação. A…

Me perdoa meu pai

Um dia a ficha cai, e isso acontece geralmente em uma comunidade terapêutica. Às vezes passam uma vida…

O ARREPENDIMENTO DO DANIEL, ENFIM LIVRE

Enquanto as outras crianças brincavam, Daniel, aos 10 anos, conhecia a maconha e o álcool. As drogas eram…

As prisões da vida e a liberdade: A história de Hélio Adicto

Ele estava atrás do portão e via a vida lá fora. Era uma criança olhando entre as grades.…

Inimigos que eu conheci

O conheci desde muito cedo, já visitava a minha casa quando eu era pequeno e sempre foi amigo…
Compartilhe com os Amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •