Visão Sobre Filhos

Um dos grandes problemas das comunidades carentes é não ter uma visão para seus filhos. Os nossos descendentes darão continuidade a nossa vida, então é necessário projeta-los longe, onde dificilmente conseguiríamos chegar. A perpetuação da pobreza está ligada a ausência de visão para a futura geração.

A ausência de visão mata tanto quanto a fome.

No livro de Salmos, o escrito abre a nossa visão quando diz “como flechas na mão do guerreiro são os filhos da nossa mocidade”. Ou seja, filhos devem voar longe, ser a nossa grande aposta,  a nossa maior vitória. Se for para ter filhos, então sonhe as maiores aspirações para eles. Eis o problema, normalmente as mães e pais de baixa renda não consideram o sucesso dos seus filhos com algo viável. Esquece-se de sonhar!

Segundo a Tese de “Empreendedorismo e negócios de impacto social para a Primeira Infância” da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal é afirmado: A parentalidade é apontada por especialistas como a principal tarefa de uma geração (pais), de modo a preparar a segunda geração (filhos) para situações físicas, econômicas e psicossociais que irão se debater ao longo do seu ciclo de desenvolvimento.

A tarefa de uma geração é preparar a próxima geração.

Segundo OCDE, no Brasil, famílias pobres levam nove gerações para alcançar classe média. Ou seja, se uma geração não lutar as próximas sofrerão. É necessário construir algo para os filhos, o legado deve ser uma meta para todos os pais.

Hoje, encontramos facilmente pessoas que vivem de doações. Uma cultura de busca de doações em detrimento ao trabalho fixo foi constituído nas comunidades carentes. Viver de benefícios se tornou cômodo para muitos. O pior prejuízo que isso pode causar é construir uma nova geração com essa visão: ser recebedor é melhor que trabalhar. Muitos estão rejeitando a vida rotineira de trabalhador pela oportunidade de viver de doações. Agindo assim, eles destroem a futura geração com uma proposta cega de vida. Os filhos copiam o comportamento dos pais, o que eles estão aprendendo agora?

Devemos ensinar em nossos projetos sociais sobre a importância da parentalidade. É importante preparar os filhos para as adversidades da vida, para que eles sejam melhores que seus pais e possam viver aquilo que eles não puderem alcançar. É dar uma herança física, emocional, intelectual e espiritual. Mais que recursos, precisam ser fortes e preparados para grandes voos.

Precisamos ensinas nas comunidades uma visão correta sobre os filhos.

 

QUER DOAR ?

Você pode colaborar para que crianças tenham a sua primeira festinha de aniversário.

Conheça o nosso treinamento VOLUNTARIADO INTELIGENTE 2.0. São mais de 50 aulas sobre voluntariado e projeto sociais em comunidades. Clique e saiba mais sobre esse curso que mudará sua maneira de pensar sobre obra social.

Moisés Nogueira de Faria
Presidente da Corrente do Bem Brasília / Generosidade.org
@moisesnogueiraoficial

 

 

Tags: