Se construírem, Eles virão

DSC_8993
A questão não é o que precisamos para fazer, mas o quanto queremos fazer. Não são os recursos que nos fazem, mas nós que fazemos acontecer. O crer é associado à vontade de romper com uma realidade de “ausência” para irmos para “abundância”. Alguns veem o copo meio vazio; outros, meio cheios; e alguns poucos, ao ponto de transbordar. Pela fé podemos ser transportados para o futuro e contemplar o que é possível de acontecer se acreditarmos e mergulharmos nessa visão. A realidade visível não pode ser um limitante para nós.

A fé é o combustível dos inquietos, que não se deixam moldar com a sua realidade. Quando entendemos que podemos fazer algo mais, sim podemos fazer algo mais. Deus abençoa a fé que temos abrindo portas que não existiam.
Há quatro meses começávamos nosso projeto de costura, só tínhamos a fé, agora temos uma turma crescente de mulheres. Em nossa última aula já tínhamos 13 alunas, e já temos muito mais se inscrevendo. As máquinas doadas agora ganham mesas novas e motores elétricos. Um degrau por vez. Promessas de mais máquinas e professoras estão chegando…

Lembro-me da frase de um filme antigo, seu nome esqueci, mas seu ditado se tornou inesquecível: “Se construírem, eles virão”. 

Mais famílias são adicionadas ao projeto, juntamente com suas histórias e complexidades. Pessoas com deficiência, acamados, doentes e famílias destruídas. Mesmo diante dessa realidade não conseguimos ver o copo meio vazio, são oportunidades de fazer o bem e contemplar o que Deus pode ajudar. O copo esta enchendo…

“Mais famílias são adicionadas ao projeto, juntamente com suas histórias e complexidades. Pessoas com deficiência, acamados, doentes e famílias destruídas.”

No Trecho 2, durante as visitações, acontecia em paralelo um futebol com a garotada. Alegravam-se com o que os voluntários trouxeram: coletes, traves e bolas para fazer umas partidas. Algumas crianças chamaram a atenção e quando foram perguntas: “Você já jogou em algum campeonato da Ceilândia?”, ele respondeu: “Nunca sai daqui”. Temos grandes potenciais naquele lugar, assim como voluntários que podem ajuda-los a irem além.

Lembro-me da frase de um filme antigo, seu nome esqueci, mas seu ditado se tornou inesquecível: “Se construírem, eles virão”. Se começarmos… aparecerão pessoas para ajudar; se tentarmos… doações surgirão; se construirmos, eles virão. Precisamos dar a ignição para que o motor comece a trabalhar. Precisamos acreditar e fazer para que comece a acontecer. Precisa-se de fé para começar e perseverança para continuar. Acredito que estamos vivendo os dias do “eles chegaram”, afinal, o copo está muito cheio.

Venha ser parte dessa corrente. Venha construir conosco aquilo que acreditamos. Juntos construiremos. Nesse sábado entregamos mais de 1,5 toneladas de alimentos, visitamos lares, fizemos uma reunião com várias famílias do projeto, demos continuidade para o projeto de costura, cadastramos crianças para o Sorria Criança que acontecerá no dia 15 de setembro e ainda tivemos o futebol. Foi um dia muito produtivo.

Parte das doações foram para o Trecho 2 do Sol Nascente, outra parte para o Trecho 2, e ainda outra parte é transferida para a Estrutural. Todas as famílias são devidamente cadastradas e acompanhadas.

 

Corrente do Bem Brasília
Somos uma provedora de generosidade para o mundo

 

Compartilhe com os Amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •