“Vi minha mãe dormindo de Joelhos”, a história de um Adicto

DSC_7700

Adolescência. Fase muitas vezes conflituosa. Um misto de medos e sonhos em meio ao caos da autoafirmação. A insegurança e baixa autoestima quase implacáveis se fazem presentes na vida de muitos adolescentes. Com o Jacques (nome fictício) não foi diferente. Aos 13 anos, num momento complicado, o qual a timidez e a vontade de vencê-la, deu lugar a uma tentativa de ser diferente: o álcool e em seguida, a maconha se tornaram seus companheiros da lida. Convite aceito e dessa decisão, um longo e árduo caminho Jacques teve que trilhar.

“O Jacques amoroso e de bem deu lugar a um rapaz extremamente agressivo e sem limites. Seu desejo incontrolável de se drogar, o fez acabar com as economias que sua mãe tinha para comprar uma casa.”

Cercado de muitos amigos e distrações, o uso de psicotrópicos não parou por aí. Roupinol e cocaína não demoraram a fazer parte de sua rotina compulsiva. Em pouco tempo, Jacques já se encontrava num uso descontrolado de drogas. O Jacques amoroso e de bem deu lugar a um rapaz extremamente agressivo e sem limites. Seu desejo incontrolável de se drogar, o fez acabar com as economias que sua mãe tinha para comprar uma casa. E, devido aos constantes desentendimentos com a família e vizinhos, e pela mais fácil acessibilidade, decidiu morar na rua. Sua mãe em busca de notícias e com o coração extremamente saudoso, ia visitá-lo em seu novo lar: Buraco do Rato.

Para ter seu estimado filho por perto e sem saber como ajudá-lo, o aceitou novamente em casa e, no desespero de imaginar seu querido filho vagando as ruas, não só aceitou o uso da droga em casa, mas também financiou o vício.

Anestesiado da realidade em que o cercava, pouco se passava pela sua cabeça: o quanto trazia sofrimento aos seus parentes. Um dia, Jacques virou a madrugada se drogando. O vício o levou aos seus limites. Sua mãe ficou aflita, entrava em seu quarto e pedia para ele tomar um banho, comer, beber água. Mas o que recebia como resposta era a frieza e a dureza de quem pouco se importava. As horas foram passando e seu controle físico também. Quando já não tinha mais o que consumir, Jacques foi até o quarto de sua mãe em busca da chave do portão. Ao abrir a porta do quarto, seus olhos não podiam acreditar no que via: sua mãe estava dormindo de joelhos. Enquanto ele se destruía em seu quarto, no dela, clamava por socorro a Deus. Ela lutou a noite toda até ser tomada pelo cansaço. Ali estava prostrada, aquela a quem lhe deu a vida e sempre se doou com tanto amor e dedicação. A dor de ver aquela cena foi como uma faca rasgando em seu peito. Ele ficou chocado, seu coração bateu fortemente e voltou para a realidade. Só que naquele instante não havia espaço para culpas e remorsos. Mesmo num momento avassalador, a abstinência gritava e sua vontade era uma só: ir atrás daquela que lhe matava aos poucos.

DSC_7698

“Ao abrir a porta do quarto, seus olhos não podiam acreditar no que via: sua mãe estava dormindo de joelhos.”

Jacques voltou às ruas. E, em busca de alguns trocados, ele se tornava aleijado, vigia e até mesmo ladrão. Essa situação de rua, lhe trouxe brigas, tiros e facadas. E, quando viu a morte bem de perto, decidiu dar chance à vida. Ensanguentado, foi abordado por um homem ex-dependente químico, que lhe contou sua inspiradora história de superação. Outro convite foi aceito. Porém, desta vez, ansioso por um recomeço. Meio desacreditado, porém decidido, conheceu a Comunidade Terapêutica “Dê Valor a Vida”. E, novos sonhos foram despertados em seu coração: a reparação dos danos causados à sua família e se tornar um membro produtivo da sociedade.

Hoje, regenerado, Jacques diz que sua família é seu maior patrimônio. E tudo que mais quer é dar uma vida digna aos seus filhos, esposa e pais.

DSC_7702

Mesmo sem oportunidade de um emprego fixo, não cruza os braços. Com os ofícios que aprendeu na Comunidade, ele sustenta sua família e se realiza como trabalhador. Sua reformulação de vida apenas começou! O choro de arrependimento neste momento,  o impulsiona a ser um novo homem: limpo, de corpo, alma e coração!

Yorrana Senna
CORRENTE DO BEM BRASÍLIA
Provedora de Generosidade para o Mundo


Uma comunidade terapeuta é fundamental para a recuperação de pessoas como o Jordison. Lá eles tem um choque de realidade e conseguem encontrar o arrependimento e mudança de vida.

DÊ VALOR A VIDA faz esse difícil trabalho com dependentes químicos, através dos seus profissionais, centenas de homens puderam regressar ao conviveu com seus familiares. Esse trabalho foi fundado por Hélio Adicto, ex-dependente químico que faleceu esse ano. Hoje é tocado pela viúva dele e por Reginaldo, outro ex-dependente químico que foi reabilitado pelo instituto.

Cada um contribui com o que pode, alguns que chegam lá não tem a mínima condição de serem tratados. Então entra o nosso apoio, para levar alimentos e doações financeiras para que os trabalhos continuem a serem realizados.

Caso queira contribuir, entre em contato pelo WhatsApp: 61 984088536

Tipos de ajudas necessárias: ALIMENTOS EM GERAL, CARNES, DOAÇÕES FINANCEIRAS PARA CONTAS DE LUZ E ÁGUA

Conta DÊ VALOR A VIDA:
Banco: CAIXA
Agência: 4463  OP: 13
Conta: 2480-6
Razão social: Catia Sirlene S Rodrigues
CPF: 647.446.514-9

DÊ VALOR A VIDA
Comunidade Terapêutica para Dependentes Químicos.
Histórias reais de vidas destruídas pelas drogas e reconstruídas pelo amor.

Compartilhe com os Amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •